sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011 ...e Estrogonofe para o último dia de 2010!!!!

O que comer no almoço do dia 31??
Vamos de Estrogonofe...assim mesmo, abrasileirado. Afinal, é uma receita adaptada, ou melhor, um picadinho "bombado"!
Seja qual for o nome, é delicioso e fica perfeito com o arroz branco e batata palha. No nosso, o da foto, cortamos as batatinhas, numa tentativa desesperada de reduzir um pouco os zilhões de calorias que andamos ingerindo!
Para quem quiser experimentar, fica aqui a receita. Super fácil, rapido e todos gostam.
Estrogonofe.
500 gras de filé mignon ou contra filé (só a carne) cortado em tirinhas
sal
pimenta do reino
2 colheres (sopa) de manteiga
1/2 cebola média ralada
1 colher (sopa)  de farinha de trigo
1/2 copo de vinho branco seco
1/2 copo de água
2 colheres (sopa) de molho ingles
2 colheres (sopa)  de mostarda
2 colheres (sopa) de catchup
100 gramas de cogumelos fatiados
300 gramas de creme de leite ( usei o fresco)

Modo de fazer:
Limpe bem a carne, tire a gordura e pique em tirinhas, longas e finas. Tempere com um pouco de sal e pimenta do reino. Reserve. Coloque na panela ( usei a de pressão ) a manteiga. Deixe derreter e dourar. Junte a cebola ralada. Mexa até que comece a amolecer. Junte a carne e  refogue até que estufe. Mexa bem e adicione a farinha de trigo. Misture bem e junte o vinho. Mexa bem e junte a água. Vá mexendo até que dissolva todos os grumos. Adicione o molho ingles, a mostarda e o catchup.


  
Misture bem e tampe a panela. Deixe de 15 a 20 minutos, em fogo baixo, na panela de pressão. De 30 a 45 em panela convencional ( atençaõ, para que o molho não seque, se precisar, junte mais água). No caso da panela de pressão, terminado o tempo de cocção, desligue o fogo, deixe a pressão sair e  abra a panela . Junte os cogumelos. Ligue o fogo baixo novamente.Misture bem e deixe o molho reduzir. Se ficou muito seco, adicione um pouco de água e deixe ferver. Junte o creme de leite e misture bem, mantendo o fogo bem baixo. Quando começar a ferver, mexa sem parar, até que o molho fique bem encorpado. Desligue o fogo e sirva imediatamente. Bom apetite .
Depois do almoço, descanse um pouco, afinal ninguem é de ferro. No final da tarde,  aproveite para organizar a ceia de Réveillon, com tudo que há de bom...frutas, carnes, farofas da sorte, lentilhas...e muita champagne para brindar a chegada de 2011!!!!
Feliz Ano Novo para todos!!!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

O amor, a viagem e o casamento!


 
Ontem, pela manhã, foi o casamento da minha filha Mariana!
Simples e alegre, exatamente como ela é.
Paulo, meu genro e Mariana, se conheceram na FAU. Começaram a namorar  logo no inicio do curso. Descobriram que se gostavam muito e quando se formaram resolveram morar juntos. Um casal harmonioso e feliz. No inicio de dezembro, o Paulo, soube que fora premiado pelo seu trabalho de formatura, na II Mostra de Estudantes BID10, em Madri. Todos ficamos muito felizes  e orgulhosos. Então, ele resolveu que a viagem à Espanha, também seria sua lua de mel e assim, pediu a Mariana em casamento. Pedido alegremente aceito, a toque de caixa, provindenciaram os papéis para o casamento civil. No cartório, cercado de amigos e parentes eles se casaram. Uma cerimonia alegre e descontraida que não lembrava em nada um cartório. Felizes e já casados, reuniram-se com os amigos, pais, irmãos, cunhados e avós, aqui em casa, para brindar essa união. Desejo à eles toda a felicidade do mundo. Que a alegria que tomou conta de todos nós na hora do brinde permaneça para sempre.
O Natal já esta chegando, então vou aproveitar a onda de alegria que tomou conta de nossa casa e desejar à todos um feliz Natal, cheio de harmonia, amor e fartura em todas as mesas!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Nosso site !

Ando um pouco sumida! 
Sinto falta de fazer pratos diferentes e fotografa-los com calma, para depois posta-los aqui. Mas em breve retomarei meu ritmo normal e voltarei a postar com mais regularidade.Estou tendo um final de ano meio atipico. Muito feliz, mas com uma agenda extremamente lotada. Também estamos desenvolvendo um projeto novo, o site    http://www.good4house.com
Embora ainda em fase de testes, pode ser explorado e utilizado plenamente. O livro de receitas que esta no site, já contem receitas variadas que podem ser consultadas. As receitas ainda não tem fotos, mas os textos e tópicos estão disponiveis. Há muita coisa interessante e util. Vale a pena visitar!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Calor, amoras e Pink Lemonade.

O calor anda matador e minhas amoras amadurecem aos borbotões. Um pouco tardias, é verdade, mas nem por isso produzindo menos. Juntando o calor e as amoras, nada melhor que uma limonada geladinha: Pink Lemonade. É uma daquelas bebidas simples e gostosas que tomamos com olhos. Pode ser feita com framboesas, amoras, morangos, suco de romãs ou de cranberries. Mas os ingredientes básicos são sempre: limão siciliano, água gelada, açúcar e frutas vermelhas.


Há várias maneiras de fazer pink lemonade. Na versão "fresh" os ingredientes são amassados como na caipirinha. 












É uma versão estilosa, mas que recomendo apenas para adultos, pois os pedaços da fruta ficam flutuando e os pequenos podem engasgar. Quando há crianças na casa, é melhor bater tudo no liquidificador e coar, adicionando pedrinhas de gelo, com formatos variados. Essa é a versão que abre o post. Outra observação importante, e que se aplica as todas as limonadas de um modo geral, é que o ideal é fazer e servir. A medida que o tempo passa, o gosto amargo da casca de limão, vai se acentuando e tornando a limonada amarga e desagradavel. Para quem quiser experimentar, aqui fica a receitinha.

Pink lemonade.

( para 1 litro na versão "fresh" e 750 ml na versão coada)
650 ml de água gelada
1 limão siciliano cortado em rodelas finas ou cubos (como preferir)
2 colheres (sopa) cheias de açúcar ou mais, se preferir bem doce
2 xícaras (chá) cheias de framboesas, amoras ou morangos - frescos ou congelados( outra opção é 1 xícara (chá) de suco de cranberry ou romã)
gelo à gosto
Modo de fazer;
Coloque as frutas ( limão picado com casca e a fruta vermelha ) e o açúcar em uma jarra. Amasse como se estivesse fazendo uma caipirinha. Junte a água e o gelo e está pronto. Na versão familiar, coloque tudo no liquidificador, bata bem e coe. Sirva com gelo e refresque-se!!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Risoto de bacalhau


Adoro risotos.São extremamamente práticos e elegantes. É quase impossivel encontrar alguém que não goste de algum tipo de risoto. Andam inventando muitos, mas meus preferidos de sempre são: camarão, gorgonzola, parmesão, abobrinha e o de bacalhau. O melhor de tudo é que a base é sempre a mesma, só muda o caldo e o "recheio". Resolvi postar a receita do risoto de bacalhau porque era o ingrediente que eu tinha disponível. Mas, o passo a passo básico para qualquer receita de risoto, fica aqui, para quem quiser experimentar. Para fazer outros tipos de risoto, basta substituir o caldo: de legumes para os  risotos de queijo ou funghi, caldo de peixe ou camarão para risotos de camarão ou bacalhau e caldo de carne ou legumes para risotos de abobrinha . Depois é só ir experimentando até chegar na sua receita ideal.
É o prato mais indicado, para ser feito junto com amigos na cozinha, pois tem que ser servido logo após o término de seu preparo. Vá bebericando vinho, conversando e mexendo o risoto. Uma festa!

Risoto de bacalhau ( receita para 4 pessoas )

800 gramas de lascas bacalhau tipo Porto ( préviamente dessalgado, cozido e desfiado)
2 xícaras (chá) de arroz arbório
3 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola grande cortada em cubos 
1 xícara (chá) de vinho branco
1 litro de caldo (usei a agua de cozimento do bacalhau)
1 xícara (chá) de ervilhas frescas ou congeladas ( usei congeladas)
pimenta do reino
sal
Modo de fazer:
Primeiramente, cozinhei o bacalhau que havia ficado dessalgando desde a véspera ( foram quatro trocas de água).Para facilitar pode usar postas de bacalhau congeladas ou dessalgadas. Deixe ferver até que o bacalhau fique macio, porém firme.Escorri e reservei o caldo. Depois, soltei as lascas e tirei as espinhas.Mantive a pele, pois eu e meu marido adoramos a pele do bacalhau. Estéticamente não fica tão bonito, mas é uma opção pelo gosto.


A seguir, tenha em mãos arroz tipo arborio, a variedade mais indicada para bons risotos. Há outras, mas com esta variedade, é dificil errar o ponto.
Leve ao fogo (baixo) uma panela de borda baixa ( fica mais facil para mexer constantemente) com a manteiga e deixe derreter. Junte a cebola, refogue mexendo sempre até ficar estufada.

Junte o arroz e refogue até que fique bem soltinho. Junte o vinho, mexa bem até o vinho evaporar.


Comece a adicionar o caldo aos poucos, mexendo sempre.

Vá mexendo até o caldo evaporar quase todo.Então, coloque um pouco mais de caldo. Continue mexendo. Até este ponto, temos o procedimento padrão para fazer qualquer tipo de risoto.
Quando os grãos de arroz começarem a estufar e já tiver usado metade do caldo ( mais ou menos 10 a 15 minutos após a panela ter ido ao fogo) . Coloque o bacalhau. Misture bem e adicone mais caldo.

Vá mexendo, e adicionando caldo. Quando estiver quase pronto (mais ou menos 20 minutos após a panela ter ido ao fogo) junte as ervilhas levemente aferventadas (nos outros risotos, é nesse ponto que adicionamos o "recheio": queijos, o camarão cozido e descascado ou a abobrinha ralada e escaldada). Misture e coloque o restante do caldo. Mexa mais um pouco e deixe refogar mais uns 5 minutos.Prove o sal e corrija se necessário. Tempere com um pouco de pimenta do reino, moída grosseiramente.
O processo todo, desde o momento que a panela vai ao fogo com a manteiga, leva aproximadamente 25 minutos em fogo baixo. Não deixe o arroz absorver o caldo totalmente. O grão tem que ficar firme, "al dente". Deixe um pouco de liquido e desligue o fogo.
Agora vem o truque que aprendi com "experts" em "paellas" e que se aplica perfeitamente  aos risotos: é o "reposado" do arroz, o momento de deixa-lo descansar. Ao desligar o fogo, tampe a panela e deixe assim por 5 minutos. Nem mais nem menos. Passado o tempo, sirva imediatamente.
Bom apetite!


terça-feira, 2 de novembro de 2010

Tiramisù mineiro






Adoro Tiramisù, mas nem sempre tenho mascarpone disponível na geladeira. Portanto, a receita que vou postar aqui, é uma "releitura" do Tiramisù clássico. É a versão mineira, pois foi feita com requeijão mineiro. O resultado fez sucesso aqui em casa. O melhor de tudo é que muito fácil de fazer, não requer nenhuma preparação elaborada e é muito economica!
Para quem quiser experimentar, nosso Tiramisú caboclo, aqui fica a sugestão;

Tiramisù mineiro.
Ingredientes:
400 gramas de requeijão ( opte pelos mais firmes, usei Danubio)
1 xícara (chá) de iogurte natural integral (usei kefir)
3/4 de xícara (chá) de açúcar de confeiteiro ( use mais ou menos açúcar, conforme o gosto)
200 gramas de biscoito tipo champagne
1/2 xícara (chá) de café forte sem açúcar
1/4 de xícara ( chá) de vinho do Porto
3 colheres (sopa) de chocolate em pó ( usei o chocolate Nestlé "o do padre" com 50% de cacau)
chocolate meio amargo ralado (ou raspas, como preferir)
Modo de fazer:
Comece fazendo o creme. Bata o requeijão,o iogurte natural e o açúcar. Prove e e se quiser um creme mais doce adicione um pouco mais de açúcar.Mas, não esqueça que o biscoito já tem açúcar. Bata o creme até que fique firme e aerado.

Reserve o creme. Faça um café forte e sem açúcar. Coloque em um prato fundo e adicione o vinho do Porto, ou outra bebida de sua preferencia.Misture bem.






Passe os biscoitos nessa mistura. Dois dois lados.Não deixe o biscoito encharcar, só ficar levemente embebido. Pegue uma tigela ou saladeira de vidro e faça uma camada de biscoitos previamente embebidos em café e vinho.


Adicione uma parte do creme e espalhe.Peneire um pouco de chocolate em pó.










Vá alternando as camadas de biscoito, creme e chocolate em pó. Termine com o creme. polvilhe o chocolate em pó e finalize com as raspas de chocolate. No meu caso preferi ralar o chocolate. Cubra com filme plástico e leve à geladeira. Deixe pelo menos 4 horas. Fica mais gostosa se feita de véspera.
Bom apetite!!!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Pão de amendoim ( receita para máquinas de fazer pão)


Sou fã declarada das maquinas de fazer pão.Este fim de semana resolvi testar uma receita e adorei o resultado, tanto na aparencia quanto no sabor.Um pão fácil e saboroso que combina muito bem com doces e salgados.
Fica a sugestão para quem gosta de amendoim e quer experimentar um pão diferente.
Pão de Amendoim
Ingredientes: 
2 xícaras (chá) de água
2 colheres (sopa) de azeite
1 colher ( chá) de sal
2 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de leite em pó
150 gramas de amendoim torrado e moido bem fino ( comprei um pacotinho da marca Amendoissimo)
4 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada
1 colher (chá) de fermento biológico seco
Modo de fazer:
Coloque todos os ingredientes na cuba da maquina, seguindo a ordem em que aparecem na receita: primeiro os ingredientes liquidos e por fim os secos. Termine com o fermento misturado à última xícara de farinha.
farinha.Esta receita é para pães grandes ( mais de 900 gramas e o ciclo é o de pão sanduiche de 3 horas ).

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Spaghetti ao pesto




O molho "Pesto" é uma receita tradicional italiana.Delicioso e com um colorido exuberante.Pode ser feito com antecedencia e guardado na geladeira. Basta aquecer levemente, na hora de servir. Faço sempre a receita padrão, com apenas alguns ajustes, conforme o paladar da familia: um pouquinho mais de alho e de queijo. Aqui fica a receita, para quem quiser experimentar .

Spaghetti ao molho Pesto
Ingredientes:
500 gramas de spaguetti, spaghettoni 4 ou linguini grano duro 
2 xícaras (chá) de folhas de manjericão fresco
3 dentes de alho
1/4 de xícara (chá) de pinoli ( ou snobar, como dizem os libaneses)
2/3 de xícara (chá) de azeite extra virgem
sal e pimenta do reino à gosto
2/3 de xícara (chá) de queijo pecorino ralado ( outras boas opções são o grana padano ou o parmesão)
Modo de fazer:
Cozinhe a massa conforme instruções da embalagem. Quando estiver "al dente", desligue o fogo, escorra e reserve.
Coloque no copo do liquidificador: o manjericão, o alho descascado e picado, o pinoli, o azeite, e o queijo ralado. Bata bem até formar um creme liso. Prove o sal. Corrija. A seguir tempere com a pimenta do reino. Bata mais um pouquinho.



Coloque o molho em uma frigideira, aqueça ligeiramente e junte o macarrão que estava reservado. Misture delicadamente. Desligue o fogo antes que o molho comece a grudar no fundo. Sirva imediatamente. Se quiser, sirva acompanhado de queijo ralado na hora. Acompanhe com uma taça de vinho tinto e aproveite um dos melhores sabores da culinária italiana. Bom Apetite!!!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Grão de bico com bacalhau.


O grão de bico é uma leguminosa muito versátil, nutritiva e saborosa. Fantastica em cozidos e deliciosa em saladas e patês. Esta receita é uma das minhas preferidas. Faz sucesso até entre aqueles que não costumam ser fãs das tradicionais bacalhoadas portuguesas. Se não gostar de bacalhau, experimente fazer a mesma receita substituindo o bacalhau, por fatias finas de pepperoni ou linguiça calabreza. Simples de fazer (como eu gosto), visual atrativo e uma delicia. A foto que ilustra o post, é dessa receita, acompanhada de mandioca frita, bem crocante...huuummm  ...irresistivel!
Para quem quiser aproveitar o preço convidativo dos importados ( bacalhau, azeite, azeitonas e vinhos) graças a cotação do dolar, aqui fica a receita!

Grão de bico com bacalhau.
Ingredientes:
500 gramas de bacalhau salgado ( ou congelado )
250 gramas de grão de bico
1 folha de louro
150 ml de azeite de oliva
3 dentes de alho bem picadinhos
2 cebolas grandes picadas em cubinhos
1 pimentão vermelho pequeno cortado em tiras
1 colher (chá) de páprica picante
10 azeitonas pretas
1 fio de azeite extra virgem
Modo de fazer:
Nesta receita utilizei o bacalhau salgado, que foi lavado e picado. Deixei de molho por 18 horas, fazendo quatro trocas de àgua ao longo do periodo. Se utilizar o congelado, utilize conforme instruções da embalagem. Deixei o grão de bico em àgua, para hidratar, desde a véspera. Com esse cuidado, ele ficou fácil de cozinhar e dobrou de tamanho. Foi cozido em uma panela de pressão, com àgua suficiente para cobri-lo, um fio de azeite, uma pitada de sal e uma folha de louro. Cozinhou por 20 minutos em fogo médio. Ficou "al dente": macio ao morder, porém bem firme. Escorra e reserve.
Leve o bacalhau para cozinhar em bastante agua. Deixe cozinhar com a panela aberta, pois faz muita espuma.Observe até que fique  macio porém, firme ( mais ou menos 20 minutos em fogo médio). Sinta o ponto, espetando com um garfo. Escorra e reserve.
Em uma panela, faça um refogado com o azeite, o alho, a cebola, o pimentão. Quando a cebola estiver dourada e o pimentão macio junte a páprica e as azeitonas. Misture bem .
A seguir, junte o bacalhau grosseiramente desfiado e sem espinhas. Se quiser, tire a pele, pois o visual fica bem mais bonito. Na foto do post, o  bacalhau esta com pele, pois aqui em casa adoramos a pele gelatinosa. Então, é uma opção que fica ao gosto de cada um. Se não gostar de bacalhau, coloque nesta fase, as fatias de  pepperoni ou linguiça calabreza. Misture bem e deixe refogar por uns 2 minutos (se usar o bacalhau) e uns 10 minutos se usar os ingredientes alternativos.



A seguir, junte o grão de bico cozido e escorrido. Refogue e mexa delicadamente para misturar os ingredientes. Prove o sal e corrija se necessário. Refogue mais dois minutos.





Desligue o fogo.Regue com um fio de azeite extra virgem e tampe a panela. Deixe descansar por 5 minutos e sirva.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Penne rigati ao brocoli e queijo.

Fui ao mercado no final de semana, e fiquei extasiada com a beleza das verduras. Me senti uma verdadeira lagarta, ávida por provar um pouco de todas as folhagens que via à minha frente. Viçosas e crocantes. Os brocolis foram os primeiros a me atrair. Maços gigantes e bem verdinhos. Com eles preparei o prato simples e muito saboroso, cuja foto, ilustra este post. Quanto à massa, optei pelo penne por uma razão estética, pois qualquer massa acompanha bem esta receita. Também, preferi o penne rigati, pois os "risquinhos" na massa, o rigati em questão, garantem uma melhor aderencia dos molhos à massa. Para os que gostam de verduras e que como eu, não resistem a um lindo maço de brocoli, aqui fica a sugestão:

Penne rigati ao brocoli e queijo.
Ingredientes:
1 maço de brocoli
250 gramas de massa tipo penne rigati
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva
5 dentes de alho bem picadinhos
250 gramas de queijo tipo reino, gouda, fontina ou maasdam ralado em ralo grosso ( usei maasdam)
sal
pimenta do reino
Modo de fazer:
Leve a massa para cozinhar, conforme instruções da embalagem. Quando estiver "al dente', escorra e reserve. Lave muito bem os ramalhates de brocoli e deixe escorrendo. Leve ao fogo o azeite. Quando começar a aquecer, junte o alho bem picadinho ou espremido. Deixe dourar. Quando estiver douradadinho, junte os ramalhtes de brocoli. Refogue até que fiquem macios, porém crocantes. Espete com garfo para sentir o ponto. Tempere com sal e pimenta do reino. Junte a massa que estava reservada. Misture delicadamente. Coloque em um refratário ou forma . Espalhe  e polvilhe com o queijo. Leve ao forno por mais ou menos 20 minutos (até dourar o queijo ). Retire do forno, espalhe um fio de azeite extra virgem e sirva.
Simples assim.
Bom apetite!

domingo, 26 de setembro de 2010

Amoreira, orquideas ou o renascer na primavera.

Passei a última semana confinada entre o sofá e a cama. Com uma boa gripe e avessa aos antibióticos como sou, deixei que os anticorpos fizessem seu trabalho: expulsassem os virus invasores. Para tanto procurei descansar e me alimentar bem. Em uma semana o trabalho foi concluido com sucesso!
A primavera chegou durante minha reclusão, e só agora no final de semana é que fui conferir o que ela havia trazido. Minha primeira surpresa foi a florada da orquidea branca, que até semana passada só possuia gordos botões. Agarrada a um pé de romã, me encantou com sua beleza brilhando ao sol. Depois fui ao terraço e lá encontrei a amoreira coberta de botões e com sua primeira flor. Grande.Pétalas balançando no vento.




Perfeitamente sincronizada em seu calendário primaveril. promete bons frutos. Foi muito bom sair do repouso forçado e sentir a delicia de estar saudavel. Renascer com os bons ventos da primavera e contemplar as belas floradas que ela trouxe consigo!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Cheese Cake " Extra Large"

Acho dificil encontrar alguém que não goste de Cheese Cake. É um doce clássico que nos remete imediatamente a Nova York. Sofisticado e ao mesmo tempo tão simples! Aqui em casa faz sucesso, principalmente, porque não é o tipo de doce enjoativo. É doce na medida certa! Equilibra perfeitamente o crocante da base com a leveza do creme. O visual também é um dos seus pontos fortes. De todas as receitas que experimentei, esta é a mais simples e gostosa. O resultado é muito bom, sem precisar gastar horas na cozinha. Se possivel, faça de véspera, pois quanto mais tempo passar na geladeira, melhor o resultado. A receita é bem farta: rende 12 generosas porções.

Cheese cake
Ingredientes: 
300 gramas de biscoito tipo maisena
200 gramas de manteiga sem sal (na temperatura ambiente)
400 gramas de cream cheese
400 gramas de creme de leite fresco ( ou nata)
8 colheres (sopa) cheias de açúcar de confeiteiro
1 colher (sopa) de suco de limão
1 colher (sopa) de essencia de baunilha
250 gramas de geléia vermelha de sua preferencia : amora, framboesa, mirtilos, cereja ou morango
Modo de fazer;
Bata os biscoitos no processador (ou liquidificador) até obter uma farofa fina. Junte a manteiga e bata até obter uma pasta firme. Espalhe  e compacte com as mãos, o fundo de uma assadeira redonda ( 25 cm ) de fundo removivel.

Coloque na batedeira o cream cheese, o creme de leite fresco, o açúcar, o limão e a baunilha. Bata na velocidade máxima por aproximadamente 4 minutos, até obter um creme bem firme.
 
Espalhe sobre a base de biscoito que esta na forma. Nivele bem. 


Cubra com filme plástico e leve à geladeira pelo menos por 4 horas.  O ideal, para que o creme fique bem firme e a base mais crocante,  é que fique na geladeira, de um dia para o outro. Desenforme e espalhe sua geléia vermelha preferida sobre o creme, deixando que escorra pelas beiradas. Na foto, usei geléia de amora.


 

Sirva e espere os elogios...
Bom apetite!






quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Caldo verde ou cozido galego...




A península Ibérica como um todo, tem uma cultura muito rica e diversificada. Embora de países diferentes, isso não impede que habitantes da região sul da Galícia ( Espanha) e os do norte de Portugal compartilham muitas coisas. Características físicas muito semelhantes, gostos, língua, festas e crenças até rios, montes e bosques. A gastronomia, já é um capitulo à parte. Há pratos com nomes diferentes, mas com os mesmos ingredientes e resultados semelhantes. É o caso deste prato. Minha "abuela" e minha mãe faziam uma variação dele, chamado ora de Caldo gallego ora Cozido gallego, dependendo da quantidade de carne de porco que iriam colocar nele.Nos restaurantes é mais conhecido como Caldo Verde. Minha avó costumava engrossar o caldo usando um pouco de farinha de milho e "unto" de gordura de porco. O caldo que ilustra este post, é bem simples e saboroso. Fácil de fazer, é perfeito para uma noite fria.

Caldo verde ou cozido galego
Ingredientes:
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
150 gramas de linguiça calabresa ou portuguesa (defumada) cortada em rodelas finas
50 gramas de bacon picado
3 dentes de alho bem picados
3 batatas médias descascadas e picadas
2 maços de couve picada
1 litro de água
1 colher (sobremesa) de sal
1 colher (sopa) de azeite extra virgem
Modo de fazer:
Prepare os ingredientes.

Coloque o azeite em uma panela e leve ao fogo. Junte o bacon e a linguiça e frite até dourar.

Quando estiver bem dourado, acrescente o alho e deixe dourar mais um pouco. Acrescente a água e o sal. A seguir junte as batatas e a couve. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio, até os ingredientes ficarem bem macios ( 20-30 minutos em panela de pressão ou 45-55 minutos panela convencional ).
Sirva quente com um fio de azeite extra virgem Acompanhe com um pão rustico e uma bela taça de vinho tinto.
O resultado final é tão português quanto galego!!
Bom apetite

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

O abacateiro em flor!

Meu pé de abacate, é daquela variedade que chamam avocado, escuro e pequenino. Já está no quintal há uns 7 anos, e é mais que tudo, um belo suporte para minhas orquideas.




Este ano, enquanto eu procurava no meio das folhas, os botões de novas variedades que havia plantado, encontrei as flores do abacateiro.

Pequeninas e escondidas entre a folhagem, lá estavam elas. Apertadas, entre o vaso de chifre-de-veado, que eu pendurei em um dos galhos. Foi uma bela surpresa, pois naquela bagunça que é o meu mini pomar, nunca imaginei que o abacateiro fosse florir. Se ele vai frutificar, não sei, mas para mim, as florzinhas dele já foram um presente,tão lindo quando inesperado!
Este ano, talvez pelo calor anormal, as arvores começaram a florir rápido. O limão cravo esta coberto de flores,cujo aroma invade a casa. O café, repleto de botões e a mexerica ponkan, voltou a florir ( fora de época). Fico feliz com a beleza das floradas, mas ao mesmo tempo preocupada com essa confusão das plantas. O clima esta mudando e elas sentem isso à sua maneira. Suas floradas intensas deveriam atrair muitas abelhas, que em outras épocas estariam zunindo por todo lado. Mas não é o que estou vendo este ano.
Ultimamente, cada estação é um novo enigma, um alerta!
Certamente há sinais, que merecem ser estudados com um pouco mais de cuidado, por quem entende do assunto.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Duo - Bananas carameladas com creme .



Com o tempo seco e quente destes ultimos dias, as bananas amadurecem mais rapido do que conseguimos consumi-las. A fruteira fica cheia de bananas madurinhas, pedindo uma sobremesa à altura do cheirinho de fruta madura e doce. 
Esta receita é muito simples, embora pareça trabalhosa, e o resultado é muiiitooooo bom!
Para quem quiser tentar, aqui vai a receita, passo a passo.
Bananas Carameladas com creme.

Ingredientes:
8 bananas maduras, descascadas e fatiadas ( rodelas  de aprox. 2 cm de espessura)
1 xícaras (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de água
500 ml de leite integral
3 colheres (sopa) bem cheias de amido de milho
1/2 xícara (chá) de açúcar
2 gemas peneiradas
1 colher (sopa) de essencia de baunilha
Modo de fazer:
Primeiro faça o caramelo. Em uma panela coloque o açúcar e a água. Misture e leve ao fogo médio até dourar.




Junte as bananas cortadas. Mas com cuidado e devagar, pois tende a espirrar. 

Leve novamente ao fogo médio, para que o caramelo amoleça (tende a vitrificar com o choque térmico, ao adicionar as bananas  frias).Quando o caramelo estiver bem liquido e as bananas bem envolvidas por ele, desligue o fogo, tampe e  reserve. A seguir faça o creme ( eu fiz o meu, enquanto aguardava o caramelo dourar).Coloque o leite, o açúcar, o amido de milho, as gemas passadas na peneira e a baunilha em uma panela. Misture muito bem antes de ir ao fogo ( eu usei um fouet ). Leve a mistura ao fogo médio e continue mexendo sempre, vigorosamente, até engrossar.
Com as duas partes da receita prontas, é hora de montar a sobremesa.
Escolha uma travessa, tigela, refratário ou faça porções individuais em taças. Espalhe o creme no fundo, e depois despeje lentamente a calda e as bananas, sobre o creme. 



Cubra com filme plastico e leve à geladeira  pelo menos por 3 horas.
Quanto mais gelado, melhor.
Bom apetite!!!