sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Feliz Ano Novo!

                     
                      Um Feliz 2014 para todos. Repleto de alegrias, amor, conquistas e muita saúde 

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Passeando pelo Orquidário Maylasky.


 Thunia marsalliana

Adoro cozinhar, mas tenho outra paixão nada secreta: orquídeas. Já faz um bom tempo que não falo sobre o assunto, mas não posso deixar de compartilhar com vocês, minha recente descoberta: Orquidário Maylasky.
Uma placa tímida na beira da Rodovia Raposo Tavares Km 55,5 - Maylasky - São Roque- SP, indicava que logo ali perto havia um orquidário. Sem muito o que fazer numa manhã preguiçosa de sábado, resolvemos ir até lá. E fomos atendidos com simpatia e  atenção por Lúcia Millen - Presidente da Associação Orquidófila de São Roque. Com toda a paciência do mundo ela ia me explicando os cuidados e como fazer mudas de cada espécie pela qual eu me encantava.
Como adoro orquídeas e já cultivo há alguns anos, procuro compartilhar o que aprendi em como identificar, cuidar e fazer mudar através do site :
www.orquidofilosurbanos.com.br



                                      Laelia tenebrosa

 Preços super acessíveis e mudas em plena floração, um encanto para novatas apaixonadas como eu. Grande variedade de orquídeas para iniciantes e colecionadores tarimbados. Desde a Phalaenopsis, passando pelas Oncidiuns ( as maiores floradas que já vi) e Dendrobiuns até Miltonias, Laelias, Brassia, Cattleya e a maravilhosa Vanda.


                                                     Brassia rex verrucosa



                                    Dendrobium hercoglossum

 Sem falar no ambiente bonito e convidativo, que mais que um orquidário/estufa, parecia uma sala de visitas. 

 Veja algumas fotos do local:




 

Além das orquídeas lá são encontrados todos os acessórios e produtos necessários para plantio e replantio de orquídeas, bem como bromélias e suculentas.  As fotos que postei aqui, são das belezinhas que trouxe de lá.
Adorei! Recomendo

Para quem quiser fazer uma visitinha, abre aos sábados, domingos e feriados das 9:00 às 17:00 h. Fone : 99626-3067/011-4714-4191

Estrada da Parada, 382 ( porteira de baixo)
Km 55,5 Rodovia Raposo Tavares (lado esquerdo de quem segue no sentido São Roque) - Maylasky- São Roque - SP

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Salmão grelhado ou Grilled Salmon.


Salmão é o tipo de peixe que quando levado à mesa, raramente alguém recusa. Por isso está sempre presente na minha mesa de Natal. Delicioso tanto no paladar quanto no aroma. Tem uma textura firme e macia, abrigando um sabor característico e marcante. Por essas propriedades, acredito que é o tipo de peixe que não deve levar muito tempero ou passar por preparos mirabolantes, pois corremos o risco de perder o que há de melhor nele. Sendo assim, minha receita preferida desse peixe magnifico, é o salmão grelhado. Feito no forno, mais simples impossível, mas com um sabor inesquecível . No dia do churrasco, experimente fazer na churrasqueira, quando a grelha estiver bem quente. É uma delicia!
Fica a dica, para as festas de fim de ano.
Grilled Salmon
600 gramas de filé de salmão com pele 
600 gramas de batatas descascadas e inteiras
150 gramas de manteiga 
1 xícara (chá) de cebolinha picada
sal
pimenta do reino
azeite de oliva

Modo de fazer:


Tempere os pedaços de filé, com pimenta do reino e sal. Deixe descansar por 20 minutos. Enquanto isso, pré aqueça o forno em 200 graus. Pegue uma forma (de preferencia com grelha), e deixe esquentar no forno.
Retire a forma/grelha bem quente e pincele com um pouco de azeite de oliva. Se for fazer o salmão na churrasqueira. Pincele a grelha da churrasqueira. 

Coloque os filés na grelha, com a pele voltada para baixo. Pincele com azeite, toda a superfície do filé.
Leve ao forno por 40 minutos ou até que comece a dourar e a carne soltar da pele. Teste com a ponta do garfo, na beirada do filé. Na churrasqueira o processo é mais rápido.
Enquanto o salmão grelha prepare a as batatas e o molho.
Descasque as batatas, e leve ao fogo em uma panela com água suficiente para cobri-las. Coloque sal e deixe ferver até que fiquem macias, porém inteiras.
Escorra e reserve.
Faça o molho.

Pique a cebolinha bem fina.



Em uma panela ou frigideira, leva a manteiga para derreter. Quando estiver começando a dourar, junte a cebolinha. Tempere com pimenta do reino e sal. Deixe refogar dois minutos e desligue o fogo. Reserve.


Retire os filés do forno ou da grelha. Sirva imediatamente, com o molho de manteiga e as batatas.
Bom apetite!!


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Bagels: o sabor de New York em sua casa.

Adoro bagels. O sabor neutro que combina perfeitamente com recheios doces e salgados. A textura equilibrada entre uma crosta crocante e um miolo macio. O delicioso ritual de segurar uma bagel fresquinha, no café da manhã ou no brunch de domingo, cortar ao meio e rechear, nem que seja apenas com manteiga.


Uma especialidade das padarias  de  NYC, são raramente encontradas aqui em São Paulo. Mesmo nos Estados Unidos esse ícone novaiorquino, concentra-se na costa leste. Pelo resto do país, o que se vê é a forma industrializada, bem descaracterizada e amolecida. A bagel fresquinha e crocante é um artigo raro e caro ($ 6.00 a 7.50) no resto do pais. Podem ser simples, sem cobertura, ou com sementes.
Procurei por um bom tempo a receita ideal (fácil) dessa gostosura. Encontrei esta que vou deixar, para aqueles que quiserem ter um brunch com gostinho de domingo em New York. 

Bagel
(pronuncia-se be-gol)
Ingredientes:
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
500 gramas de farinha de trigo peneirada ( prefira a de melhor qualidade - usei D. Benta Reserva especial)
1 e 1/2 colher (chá) de sal
1 e 1/2 colher (sopa) de açúcar
1 e 1/4 de xícara de água mineral ( reserve mais 1/4 de xícara se necessário para dar a liga à massa)
1 ovo batido
opcional:sementes de gergelim branco, papoula ou qualquer outra de sua preferencia.

Modo de fazer:
Em uma tigela, misture bem a farinha peneirada, o sal, o açúcar e o fermento. Junte a água aos poucos, e vá misturando com as mãos. Se a  massa ainda estiver muito seca, utilize o restante da água ( 1/4 de xícara que ficou reservada). No meu caso eu precisei utilizar. 



Transfira a massa para uma superfície lisa e enfarinhada. Amasse bem. . Se tiver máquina de fazer pão, pode utilizar o ciclo massa, para sovar ou como eu, solicite e aproveite a força das mãos masculinas.




 Quando a massa estiver lisa e macia, coloque em uma tigela e cubra. 


 Deixe crescer até dobrara de tamanho.
Leve novamente para a superfície enfarinhada e corte em 8 pedaços mais ou menos iguais. Com as palmas das mãos, molde em forma de bolinhas. Achate-as pressionando contra a superfície previamente enfarinhada.



Fure o centro das bolinhas achatadas, usando o dedo ou o cabo de uma colher de pau.
Deixe-as descansando mais alguns minutos. Enquanto isso, pegue uma panela funda com boca larga. Encha com água até a metade e leve ao fogo. Pré aqueça o forno em 180 graus.


Quando a água  começar a ferver, coloque as bagels na água. Evite colocar mais que duas por vez.. Deixe um minuto e vire. Deixe mais um  minuto e tire com o auxílio de uma escumadeira.
Deixe escorrer em uma grelha ou rack.
Faça isso com todas as bagels. 
Quando terminar, pincele com o ovo batido e se quiser espalhe as sementes sua preferencia. Eu usei gergelim branco.
Quando terminar, unte uma forma com um pouco de óleo e leve para assar por aproximadamente 30 minutos..
Espere até que fiquem douradas e com superfície crocante.



Retire do forno e delicie-se !!

sábado, 2 de novembro de 2013

Pão Bauru delicioso!

A maioria das pessoas que conheço adora pão de frios. Principalmente os mais jovens. Há muitas receitas, mas todas bem parecidas, que lembram muito o que encontramos nas padarias. Eu queria que minha receita tivesse um sabor mais marcante, que lembrasse uma pizza ou algum assim. A solução veio de um pote de tomate seco em conserva que estava na geladeira. Embora eu adore, meu marido não é fã, principalmente pela da consistência do tomate seco. Portanto evito usa-lo. Mas, utilizando bem batido e misturado à massa...sucesso!! Ele adorou, e o pão ficou delicioso, cheiroso e com uma cor linda. Já na primeira mordida ele comentou: 
- Ficou com gosto de Bauru! 
E assim ficou com o nome do tradicional lanche paulista. A receita é muito fácil  e o resultado...confira nas fotos passo a passo!!

Pão Bauru.
Ingredientes:
4 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada
300 ml de água (de  preferência usar água mineral)
1/2 xícara (chá) de tomate seco em conserva no óleo
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de fermento biológico seco
200 gramas de presunto fatiado
200 gramas de mozzarella (mussarela) fatiada

Modo de Fazer:  

Ponha a água e o tomate no liquidificador.


Bata até que o tomate fique quase que totalmente dissolvido. Reserve.

Em uma tigela, peneire a farinha, junte o sal e o fermento biológico. Misture bem os ingredientes secos e abra uma pequena cavidade no centro.



Despeje o tomate batido no centro e vá misturando a massa com o auxílio de uma colher. Quando estiver razoavelmente misturado, comece a amassar com a mão, dentro da própria tigela. Não é necessário trabalhar muito a massa, apenas mistura-la muito bem e deixa-la uniforme.
O ponto ideal é quando ela começa a ficar mais macia e  soltar-se facilmente das mãos. Polvilhe um pouco de farinha, cubra e deixe crescer até dobrar de tamanho (mais ou menos 3 horas).
Polvilhe com farinha uma superfície lisa. Coloque a massa no centro e comece a esticar com o auxílio de um rolo (ou uma garrafa limpa, se não tiver rolo). Estique para os lados e para cima, dando uma forma retangular.

Deixe a massa com mais ou menos 1 cm de espessura.
Cubra com as fatias de presunto.
Depois cubra com o queijo.
Comece a enrolar. Se quiser um pão pequeno com muitas camadas, para assar em forma de pão. Enrole a partir da lateral menor, no sentido do comprimento. No meu caso, queria fazer o pão como se fosse uma rosca, então enrolei a partir da lateral maior.


Vá enrolando e apertando a massa, para que fique bem colada ao recheio.
Terminando de enrolar dessa forma você terá  duas opções: ou assa assim, na forma de uma baguete, ou junta as pontas e faz uma rosca.


Optei pela rosca. Juntei as pontas, coloquei em uma forma untada com azeite, e fiz pequenos cortes superficiais na massa. Cubra e deixe crescer mais uma hora.
Leve para assar em forno pré aquecido em 180 graus.
Depois de mais ou menos 35 minutos, o pão esta pronto. Dourado e com crosta crocante. O queijo colado ao presunto, derretendo e escorrendo pela massa. Delicia pura!!

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Gelato de manga e banana.



Os dias cada vez mais longos e as tardes quentes, avisam que o verão está chegando. E para combater o calor nada melhor que um delicioso sorvete. Há algum tempo atras, vi a chef australiana Donna Hay, no Canal FoxLife, apresentando uma sugestão de sorvete que me encantou no ato: superfácil e muito saudável. 
Resolvi fazer e foi um sucesso. Só fruta e iogurte! 
É a forma ideal de enriquecer o cardápio de crianças (e adultos) que não gostam de comer frutas. 
Ao escolher as frutas, opte pelas bem maduras e doces, pois o sorvete não tem açúcar, apenas a cor e a doçura da fruta.
Se quiser um sorvete mais cremoso e mais doce, substitua o iogurte por creme de leite fresco na mesma medida. Se quiser adoçar,  complete com 3 colheres (sopa) de açúcar. Com essa mudança o valor calórico do sorvete aumenta substancialmente. Para aumentar a cremosidade e o valor nutricional, pode acrescentar 3 colheres (sopa) de leite Ninho.
Fica aqui uma ótima sugestão.

Gelato de manga e banana.
3 bananas nanicas pequenas
2 mangas pequenas (usei a variedade Tommy, mas se puder opte pela Palmer que é mais colorida e doce) 
220 ml de iogurte natural integral (dê preferencia aos mais encorpados)
1 colher (chá) de extrato de baunilha
3 colheres (sopa) de açúcar (opcional)
3 colheres (sopa) de leite Ninho (opcional)
Modo de fazer:
Descasque e pique as frutas. Coloque em um recipiente (com tampa) de plástico ou aço inox. Leve ao freezer por pelo menos 6 horas. O ideal é picar e levar ao freezer à noite, para usar no dia seguinte.


Retire do freezer. Espere alguns minutos.


Retire do recipiente e deixe descongelar um pouco (mais ou menos 10 minutos) para poder soltar os pedaços das frutas.


Coloque as frutas congelados no liquidificador ou no processador (usei processador). Junte o iogurte e a baunilha. Se optar por adicionar o açúcar e  o leite Ninho, adicione nesse momento. Feche o processador ( ou liquidificador) e ative o pulse algumas vezes. Depois velocidade máxima.


Bata bem, até obter um creme denso e aveludado.

Coloque em um recipiente com tampa, e leve aos freezer, por pelo menos 4 horas.
Sirva em bolas ou raspas. Fica perfeito para ser servido em casquinha (cones)
Aproveite...saboreie sem culpa.

domingo, 13 de outubro de 2013

Super Kit Kat.



A arte da doçaria e "chocolaterie" não são o meu forte, embora eu aprecie muito e admire o que os mestres são capazes de produzir. Mas, entre um curso e uma aula a mais, vou fazendo minhas experiências. Há algum tempo atrás vi um vídeo sobre como fazer uma barra gigante de Kit Kat, e achei interessante. Resolvi fazer uma releitura da receita, aplicando conceitos que aprendi e principalmente guiada pelo meu paladar. O resultado foi amplamente aprovado pela família e confesso que superou minhas expectativas. É claro que não é idêntico, mas lembra bem o original. Aqui em casa já percebemos e também ouvi vários cometários, observando que mesmo sob o rígido padrão e supervisão da Nestlé, o sabor da barra de Kit-Kat, tem diferenças expressivas, dependendo do país onde é fabricada.  
Nossa receita é muito fácil de fazer e o segredo está na qualidade dos produtos empregados na confecção do doce.

Super Kit Kat.

Ingredientes:
500 gramas de chocolate ao leite (para facilitar usei 3 barras de chocolate Alpino de 170 g )
50 gramas de manteiga sem sal (temperatura ambiente)
140 gramas  de biscoito tipo wafer sabor chocolate 
2 colheres (sopa) cheias de creme de avelã ( utilizei Nutella)

Modo de fazer:
Primeiramente prepare o banho maria. Leve uma frigideira ao fogo com água. 


Quando começar a formar bolinhas, iguais a cabeça de alfinete, desligue o fogo e coloque a penela com o chocolate para derreter. 



Vá misturando devagar até derreter tudo.

É claro que esse trabalho pode ser feito no microondas, se preferir. Não vou me atrever a sugerir tempo nem potência, pois como muito bem disse a chocolatier Estela Withaker ( https://www.facebook.com/pages/Estela-Whitaker-Chocolatier/159864067442891), durante uma aula que assisti: : marido e forno cada um conhece o seu. Eu prefiro usar o método do banho-maria, pois tenho maior controle da temperatura do chocolate.

Tire a panelinha do banho-maria e junte a manteiga. Reaqueça a água, até o ponto das bolinhas. Desligue o fogo e recoloque a panelinha. Misture tudo muito bem, até obter um creme denso e liso.

Pegue uma forma para pão ou bolo inglês ( alumínio ou refratário).
Forre o fundo da forma com mais ou menos 1,5 cm de chocolate derretido. Espalhe e alise.

Disponha metade dos wafers, sobre o chocolate.



Espalhe o creme de avelã sobre os wafers. Coloque mais uma camada de wafers. 



Ponha todo o restante de chocolate derretido sobre os wafers, inclusive nas laterais. Alise com as costas de uma colher, faca ou espatula. Se quiser pode fazer uns risquinhos, com um garfo, fica a seu critério.
Tampe a forma com filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 1 hora.
Solte as laterais com uma faca aquecida em água quente ( seque bem antes de utilizar). Corte e leve à mesa em barras. A primeira sempre quebra, mas as demais ficam certinhas.
Vai agradar na certa!!