terça-feira, 27 de abril de 2010

Burrito Express






Talvez não seja a receita original mexicana, mas o sabor é muito bom e adapta-se perfeitamente ao paladar da maioria dos brasileiros. É fácil de fazer. Pode-se deixar os ingredientes prontos de véspera e montar o prato pouco antes da refeição.Acompanhado de uma boa salada verde é muito nutritivo.
Burritos
Ingredientes:
2 xícaras (chá) de feijão carioca cozido ( também pode ser de caixinha ou cozido à vapor)
250 gramas de carne moída ( magra)
1 cebola grande cortada em cubinhos
5 dentes de alho espremidos ou bem picadinhos
1 colher (sopa) cheia de extrato de tomate
1/2 xícara (chá) de salsinha picada (ou coentro se preferir)
2 colheres (sopa) de azeite
1 colher (sopa) de óleo de milho ou girassol
1 pacote de pão tipo RAP10( Bimbo)
sal
pimenta dedo de moça
1 colher (chá) de tempero mexicano ou chili em pó
1 pitada de cominho em pó
200 ml de água
150 gramas de queijo tipo cheddar ( ou prato) fatiado e cortado em tirinhas finas
Modo de fazer:
Primeiro prepare a pasta de feijão. Em uma panela, coloque  o óleo, 1/2 pimenta dedo de moça, 3 dentes de alho bem picadinhos ou espremidos e a cebola. Frite até dourar bem. Junte o feijão escorrido e misture. Deixe cozinhar um pouco, mexendo bem até formar uma pasta. Corrija o sal e desligue o fogo.Deixe esfriar.
Em outra panela coloque o azeite, o restante do alho e da pimenta dedo de moça. Frite até dourar e então junte a carne moída. Vá fritando e mexendo bem, até a carne ficar bem soltinha e dourada. Junte a água e deixe cozinhar até a àgua evaporar toda. Tempere com sal, cominho e o tempero mexicano ou chili em pó. Junte o extrato de tomate e a salsinha.Refogue mais um pouquinho e desligue o fogo. Deixe esfriar.
Montagem do prato:
Abra a "tortilha", ou seja, um disco de pão. Coloque tiras de queijo bem no centro. Adicione uma colher (sopa) cheia de pasta de feijão e sobre ele, uma colher (sopa) cheia de carne. Dobre como se fosse um envelope. Repita a operação com todos os discos de pão (10 ao todo). Unte uma forma com algumas gotas de azeite. Coloque todos os burritos com a dobra virada para baixo. Leve ao forno pré aquecido em 200 graus, até dourarem. Se quiser doure um a um , utilizando uma frigideira revestida de anti aderente.
Sirva quente, acompanhado de alface em tiras (tipo americana), tomate picado em cubos e guacamole (opcional).
Acompanha também,  molho de pimenta jalapeño para quem aguentar...
Bom apetite!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Bolinhos de tofu e sardinha

Este bolinho engana. A primeira vista não parece saboroso, mas é uma delicia. Crocante por fora, graças a farinha de rosca e ao queijo parmesão, mantem-se macio por dentro (efeito do tofu e recheio).  Faz sucesso aqui em casa, desde que minhas meninas eram pequenas.Fica bem sequinho. Pode ser feito com sardinha em conserva, vegetais em conserva, atum ou frango desfiado. Fica a critério do gosto de cada um e da disponibilidade do ingrediente.

Bolinho de tofu
Ingredientes:
500 gramas de tofu
1 colher (sopa) de molho de soja ( shoyu)
1 ovo inteiro
1/2 xícara (chá) de salsinha bem picada
2 latas de sardinha em conserva (escorridas)
1 e 1/2 xícaras ( chá) de farinha de rosca de padaria ( pão ralado)
1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado fino
pimenta do reino à gosto
1 colher (sopa) de alho granulado 
sal ( se for necessário)
1 fio de azeite ( para favorecer a liga da massa )
Modo de fazer:
Primeiro escorra bem o liquido do tofu. Amasse muito bem com um espremedor de batatas ou com um garfo. Junte o shoyu e o ovo e continue amassando e misturando. Acrescente as sardinhas em conserva  e amasse bem juntamente com o tofu. Adicione e misture a farinha de rosca, a salsinha, o alho e o queijo parmesão.  Pingue um fio de azeite e usando as mãos, misture bem e esmigalhe qualquer grumo maior da massa. Por fim corrija o sal se precisar e  povilhe pimenta do reino se gostar. Aperte a massa com as mãos. verifique se esta bem ligada. Se estiver quebradiça, adicione um pouquinho mais de azeite e teste novamente. Faça isso até obter uma massa homogenea e com boa liga. Dê forma aos bolinhos usando como medida uma colher de sopa cheia. Ponha a massa na palma da mão e aperte. Em seguida, vá girando a massa entre as palmas das duas mãos até obter um bolinho bem redondo e firme. Monte todos os bolinhos e reserve. Deixa descansar pelo menos por 20 minutos. Aqueça o óleo e frite até que fiquem dourados. 
Bom apetite!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Guia pratico das orquideas mais populares - Paphiopedilum

Paphiopedilum - Popularmente conhecido como Sapatinho ou Chinelinho de Vênus. É muito resistente.Cresce e se alastra em touceiras que permitem formar canteiros ou jardineiras.Para formar novos vasos, basta repartir touceiras com boas raizes. Pode ser plantado direto no chão ou em vaso com boa drenagem. Resiste bem ao sol e em ambientes pouco iluminados não costuma florir. A flor é bem resistente e tem longa duração, mesmo depois de cortada. A foto da flor, foi feita após o corte. Nas outras fotos é possivel ver dois estágios diferentes da formação do botão. É bastante resistente a pragas sendo ótima opção para iniciantes. Costuma florir entre abril e maio.
Mais informações no site :
www.orquidofilosurbanos.com.br

Guia pratico das orquideas mais populares - Cattleya

Cattleya - A rainha das orquideas. Flores grandes e de colorido exuberante. Chamam a atenção pelas cores extravagantes. As flores não tem duração tão prolongada quanto as Phalaenopsis, mas tem um encanto todo especial. São resistentes e de fácil manejo. Indicadas para iniciantes. Gostam de sol e regas moderadas. Precisam de boa luminosidade para florir. Um vaso com uma boa quantidade de pedriscos ( mais de 40%) misturados a casca de pinus e fibra de coco, garantem uma boa drenagem, o que evita o apodrecimento das raizes.
Mais informações úteis no site :
www.orquidofilosurbanos.com.br

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Guia pratico das orquideas mais populares- Oncidium

Oncidium - É uma espécie bem resitente e gosta de sol mais intenso. Fixa-se muito bem nas arvores, bastando manter a muda, fixada, algum tempo, com barbante de algodão. Até que as pequenas e fortes raizinhas, fixem-se definitivamente. Não são parasitas e portanto não causam nenhum dano à arvore. A mais conhecida das oncidium, pelo menos aqui em São Paulo, é a popular chuva de ouro. Sua beleza reside na delicadeza de sua haste e  flores, porém, é a florada menos duradoura dentre as espécies mais populares.
Mais informações úteis no site: www.orquidofilosurbanos.com.br

Guia pratico das orquideas mais populares - Dendrobium

Dendrobium - É um genero muito popular é provavelmente o que contém o maior numero de variedades para comercialização. Na década de 70, era mais conhecida como orquidea olho de boneca. Mais recentemente foram introduzidas no comércio, as variedades que  formam a florada em uma haste longa e delicada. As cores mais comuns são roxa (como a da foto), branca e branca com a parte central em um tom roxo bem escuro. Faceis de manter e multiplicar. Gostam de sol e regas moderadas. Perfeitas para iniciantes. Na foto acima, é possivel ver como se forma uma muda, em uma haste mais velha que floriu o ano passado. Esta muda, apresenta boas raizes e está pronta para ser destacada e plantada em vaso com pedriscos, casca de pinus e fibra de coco. A maior parte de minhas dendrobium, estão fixadas em um pé de abacate. Fixam-se rapidamente ao tronco, bastando apenas, deixa-las amarradas por um tempo, com um barbante de algodão e logo elas tratam de fixar-se com suas raízes poderosas. Não são parasitas e não causam nenhum dano à arvore.
Mais informações úteis no site : www.orquidofilosurbanos.com.br

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Guia pratico das orquideas mais populares - Cymbidium

Cymbidium
Bastante rustica e pouco exigente.Perfeita para iniciantes. Tolera sol e regas mais abundantes. Precisa de um solo bem drenado, caso contrario apodrece com facilidade.
Mais informações úteis no site : www.orquidofilosurbanos.com.br

Guia pratico das orquideas mais populares - Phalaenopsis



Phalaenopsis - É uma das orquideas mais populares. Linda, resistente e com uma florada de longa duração.É uma das espécies mais indicadas para iniciantes. Requer luminosidade e regas moderadas.

terça-feira, 13 de abril de 2010

A janela da cozinha e as orquideas.

















Nunca tive muito sucesso com orquideas, até alguns anos atras, quando ganhei uma phalenopsis branca  e me apaixonei por ela. Fiquei tão interessada, que meu marido percebeu e resolveu me presentear com varios livros ensinando como  cuidar e criar orquideas. Infelizmente os melhores precisam ser importados. Mas, realmente ajudam muito quem esta iniciando, como eu. 
As danadinhas são sensiveis e temperamentais. Demoram a se aclimatar no novo ambiente e detestam qualquer condição mais extrema de sol, chuva ou vento. Tentei vários locais diferentes, e acabei matando algumas, até descobrir onde elas realmente queriam ficar. Agora, felizes, me premiam com varias floradas. O grande problema é que estou ficando com pouquissimo espaço, pois elas adoram a janela da cozinha e o vão da escada do terraço. As  dendrobium  e oncidium ( tipo chuva de ouro) são mais resistentes e a maior parte delas vive feliz, no tronco do abacateiro. As cymbidium toleram mais sol e vento e vivem bem no terraço. Hoje percebi, que elas já estão preparando suas floradas. Estou ansiosa, pois elas são lindissimas. 
As orquideas da janela tem boas condições de luz, mas nos dias mais quentes, do verão, na parte da tarde,  precisei abrir o guarda sol para  protege-las. Num fim de semana, esqueci, e as folhas tenras ficaram severamente queimadas. Fiquei muito chateada. Mas, elas estão superando, pois o que mais odeiam  é o vento, e lá estão perfeitamente protegidas. Elas são exigentes, mas correspondem meu amor por elas. Enquanto estou na cozinha, posso ficar admirando sua beleza. As folhas castigadas pelo sol , não impediram que florissem em todo seu esplendor. Quando vejo tanta beleza, penso que elas já perdoaram o meu descuido!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Manhã de sol ou como diria Caetano:while my eyes... go looking for flying saucers in the sky.

A foto ao lado é apenas uma nuvem engraçada, no meio de um céu azul. Mas, eu me pergunto: e se não fosse? Como eu, e a maioria das pessoas reagiriamos diante de uma enorme nave desconhecida?
Francamente não sei. Mas certamente não me sentiria segura.
Já me perguntaram várias vezes se acredito em vida extraterrestre. Minha resposta é sempre a mesma. Claro que sim. O Universo é imenso e desconhecido e nós somos apenas um grãozinho de poeira e vida nele. Que pretensão acreditar que somos unicos!
Ainda engatinhamos no conhecimento da Física e pouco sabemos de nossa origem, portanto tudo é possivel.
Um dia desses ví um documentário no Discovery Channel, sobre OVNIs. Muito bem feito e com documentação confiável.Coisa rara. Pois o que mais se vê é um bando de malucos delirantes dando depoimentos estranhos, atrás de seus 15 minutos de fama. Péssimo para quem estuda o assunto sériamente ou para quem viu algo de verdade. Poucos teriam coragem de dar um depoimento real, correndo o alto risco de ser atirado no mesmo balaio dos "freaks".
Quando falo de vida extra terrestre, penso em Carl Sagan, militares e pilotos  que tiveram coragem de contar suas experiencias ou gente que procura respostas sobre fenomenos que ainda não entendemos. Simplesmente ciencia e pesquisa séria.
Nunca vi nada além nuvens engraçadas no céu, e nem sei se estaria preparada para ver ou entender outra coisa, mas sempre me interessei. Há muitos anos atras, em 1979, quando eu ainda era uma jovenzinha, comentei com alguem de nosso circulo familiar sobre uma noticia que havia lido. Alguns patrulheiros da Policia Rodoviaria haviam visto um imenso OVNI sobre a Represa Billings, justamente onde estavamos naquele dia. A reação dela foi tão inesperada que quase me levou às lágrimas. Começou a caçoar alto e puxou um coro de risadas que me desconcertaram profundamente. Hoje, eu não daria tanta importancia, e dispararia uma série de perguntas instigantes, mas, naquela época, a insegurança da juventude me dominou totalmente e eu me calei humilhada.
Resolvi que jamais faria qualquer cometário sobre o assunto e tratei de esquecer. Embora ainda tivesse que ouvir uma piadinha de vez em quando. Passaram-se alguns meses, e a pessoa que caçoou de mim veio até minha casa, logo nas primeiras horas da manhã. Estava muito ansiosa e queria falar comigo. Atendi e me surpeendi muito com o que ouvi. Ela falava muito rápido, e seus olhos mostravam um pavor genuino. Contou que na noite anterior, estava passando perto da represa depois da 11 da noite, após um curso noturno quando surgiu uma imensa nave com muitas luzes piscando. Era imensa, e não fazia qualquer tipo de ruido. Voava bem baixo. Pairou um pouco sobre a represa e depois desapareceu rapidamente. Contou também que nem o motor do carro e nem o radio pararam de funcionar, como costumavam dizer que acontecia. Apenas a imensa nave deslizando baixo sem fazer o menor ruido. A experiencia durou pouco mas foi marcante. A pessoa em questão, sempre foi altiva e orgulhosa, mas pude perceber em seus olhos, um humilde pedido de desculpas que jamais foi verbalizado. O fato dela estar ali, francamente atônita diante da experiencia que presenciara já me bastava. Desculpas aceitas!
Desde então, se eu tinha algum tipo de  dúvida, ela se dissipou. Uma pessoa totalmente cética sobre o assunto, presenciando um evento como aquele. Irônia do destino, sem dúvida!
Nunca mais ouvi nenhum tipo de chacota e as piadas cessaram. Apenas um olhar cumplice e assustado, quando alguem mencionava algo sobre " a represa  à noite". Outros céticos que eu conhecia muito bem, passaram a olhar a região com mais atenção, utilizando binóculos.Muito discretamente é claro! Mas, até onde eu sei,sem sucesso.
O tempo passou, mas ainda me lembro muito bem do olhar assustado. Era como se tivessem abalado todos os alicerces do conhecimento daquela pessoa.Um desmoronamento instantaneo de crenças fortemente instaladas. Quanto a mim, como boa espanhola, estava naquela de "...yo no creo en brujas pero que las hay, las hay..." e continuo assim.
Precisamos ter a mente aberta para aceitar o novo e o desconhecido, venha de onde vier.
De fato, vivemos tempos interessantes!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

O vaso, a florada e as acerolas.

Em uma dessas manhãs do final de março, tive uma bela surpresa. Encontrei duas acerolinhas amadurecendo sob o sol , logo após uma noite chuvosa. Fiquei tão feliz que corri fotografar. Minha alegria foi quase infantil, mas teve seu motivo. Meu pé de acerola é um arremedo de bonsai. Tem mais ou menos 10 anos de vida.Vive apertadinho num vaso, lá no terraço. Este ano, após a adubação, floriu atraindo abelhas e vários outros insetos. Mas, eu não estava muito esperançosa quanto aos frutos.
Porém, apesar das adversidades como: espaço inadequado, pouca agua e calor intenso ele conseguiu frutificar. A natureza realizou seu milagre, mostrando mais uma vez todo o seu poder.  

domingo, 4 de abril de 2010

Pão Integral ( para maquina de fazer pão)

Nada melhor que uma bela receita de pão para comemorar a Páscoa. Um poderoso símbolo de fartura e prosperidade. A benção necessária à todos os lares.
Há muitos anos faço pão, mas ainda me surpreendo com o delicioso cheirinho que toma conta da casa, quando está pronto para sair do forno. Que alquimia maravilhosa! Ultimamente tenho feito muitos pães em minha adorável maquininha de fazer pão. Eu me afeiçoei muito a ela, e as vezes achava esse sentimento meio despropositado, até duas semanas atras. Num domingo de manhã, eu e minha mãe estavamos na fila do supermercado, quando vi logo a minha frente um casal com uma maquina semelhante a minha. Comentei com minha mãe, que também tem uma, o quanto gostava dela. Falei baixinho, mas acho que o homem ouviu e voltou-se para mim dizendo:
- Eu não vivo mais sem esta maquina. É a terceira que compro. Tenho uma em casa , outra no sítio e esta, estou dando de presente para minha filha. Só faço pão integral. Com as melhores farinhas e sem nenhum conservante. E o que é melhor: com pouco sal e gordura. O pão industrializado, não é saudavel!
Concordei. Nos despedimos e lá se foi ele com sua terceira maquina de pão debaixo do braço. Pensando no que ele disse, resolvi postar uma receita muito saborosa de pão integral, que sempre dá certo. Aí vai:

Pão Integral 
Ingredientes:
2 e 1/2 xícaras (chá) de leite integral
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
1 colher (chá) de sal 
2 colheres (sopa) bem cheias de mel
2 colheres (sopa) de farinha de soja torrada
1 e 1/2 xícaras (chá) de aveia em flocos
1 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo integral
3 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo especial ( usei a marca Renata) 
1 colher (chá) de fermento biológico seco
Modo de fazer:
Vá colocando os ingredientes na cuba da máquina, obedecendo a ordem em que aparecem na lista de ingredientes. Comece pelo leite e vá adicionando os demais ingredientes, terminando com o fermento, levemente espalhado sobre a farinha de trigo.Tampe a máquina e selecione tamanho aproximado ( 900 gramas) e ciclo de 3 horas. Na minha máquina, marca Britania, é o ciclo 11 - sanduiche. 
Esse pão faz o maior sucesso, pois a cor é linda e o sabor muito delicado. 
Quanto à cor, tenho percebido que se faço o pão pela manhã ele fica mais dourado.Se fizer no final da tarde ou à noite ele fica mais clarinho. Isso ocorre devido a oscilação da intensidade da energia elétrica. Durante os picos de consumo fica mais fraca e o pão mais claro e quando há menos consumo, a energia fica mais forte, resultando num pão mais dourado e uniforme ( independentemente da opção selecionada).
Espero que gostem!
Feliz Páscoa à todos.