quarta-feira, 17 de julho de 2019

Pudim de leite ninho e caramelo



O pudim queridinho da família.  É delicioso. Leve essa beleza à mesa e os elogios estão garantidos. Ainda não encontrei quem não goste. Fica aqui o passo a passo, que não tem segredo nenhum, mas tem algumas dicas que fazem toda a diferença. Essa receita é tamanho família. Rende 10 porções.


Ingredientes:
Para a calda
1 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar cristal
3/4 de xícara (chá) de água mineral

Para o Pudim:
6 ovos inteiros
2 latas de leite condensado
4 medidas (use a latinha de leite condensado como medida) de leite integral
2 colheres (sopa) cheias de leite em pó Ninho
1 colher (chá) de amido de milho
1 colher (chá) de extrato de baunilha


Comece fazendo a calda. Coloque a água e o açúcar em uma panela ou frigideira. Eu uso sempre uma frigideira de fundo grosso. Não precisa misturar. leve ao fogo médio. Quando comecar a escurecer. Movimente a frigideira em circulos, para misturar a calda. Desligue o fogo.



Despeje a calda imediatamente na forma de pudim. Não demore, pois ela continua queimando na panela, mesmo com o fogo desligado. Se queimar demais, a calda pode ficar amarga. O ideal é que fique dourada.


Gire a forma de pudim, para poder espalhar calda. Cuidado. Proteja as mãos com luva témica ou um pano, pois a forma vai ficar bem quente. Reserve.



Para fazer o pudim, comece peneirando os ovos. Dá um pouco de trabalho, mas faz toda a diferença. A peneira, retem as películas dos ovos e tira o cheiro e gosto de ovo da sobremesa. Isso é fundamental para pessoas que destestam cheiro de ovo em doces. É o caso do meu marido. Essa dica serve para qualquer doce: de bolo, creme ou pudim. No final do processo vai ficar um restinho de clara, peliculas e gema. Despreze e jogue fora.

Em uma tigela coloque as gemas peneiradas, o leite condensado, o leite integral, o leite em pó, o amido de milho e o extrato de baunilha. Misture muito bem até dissolver todos os grumos. Despeje na forma com calda, que estava reservada. Cubra a forma com papel alumínio, com a face brilhante voltada para dentro. Aperte bem ao redor da forma, para selar bem.

Prepare o banho maria. Coloque a forma com o pudim, dentro de uma outra forma maior, e despeje água quente até o meio dessa forma maior. 



Leve ao forno quente, em 200 graus. Deixe assar em banho maria por duas horas ou até que o pudim fique firme.


O pudim sai do forno, meio mole, com uma consistência gelatinosa. Espere esfriar e leve à geladeira por pelo menos 4 horas. Ele vai ficar bem firme e pronto para desenformar. Descole as laterais e o centro do pudim, com o auxílio da ponta de uma faca. Vire o pudim sobre um prato de bolo e deixe que ele deslize, naturalmente, para o prato. Leva algum tempo, mas o risco de rachar é menor.



sábado, 29 de junho de 2019

Panqueca holandesa com mirtilos ou dutch pancake


Deliciosa, fácil de fazer e muito versátil. Essa é a dutch pancake ou panqueca holandesa. Na foto acima, foi feita com mirtilos, mas pode ser feita com passas, figos ou damascos picados. Também pode ser feita sem adição de nenhuma fruta.Uma panqueca simples que depois pode ser coberta com caldas, mel, creme de chocolate, pasta de amendoim, geléias variadas, maple syrup ou doce de leite. Tipo um waffle. A criatividade é que manda.

Dutch Pancake ou panqueca holandesa com mirtilos
 Ingredientes:
4 ovos peneirados
1 xícara (chá) de leite integral
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1/4 de xícara (chá) de amido de milho
3/4 de xícara (chá) de farinha de trigo
1/4 de xícara (chá) de açúcar
1/4 de colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de mirtilos (opcional)
1 colher (chá) rasa de manteiga
2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro para polvilhar

Modo de fazer:

O segredo do sucesso desta receita é usar as medidas certinhas. Ou seja: use xícara e colheres medidoras sempre niveladas. Aí não tem erro. Dá o ponto certo da massa.


Passe os ovos inteiros, previamente batidos, por uma peneira. Leve ao copo do liquidificador. Junte o leite, o extrato de baunilha, o amido de milho, a farinha de trigo, o açúcar e o sal. 

 

 Bata até que a massa fique bem uniforme.


Pré  aqueça o forno em 180°. Leve ao fogo uma frigideira que possa ir ao forno, tipo frigideira de ferro ou "iron skillet". Deixe aquecer e adicione a manteiga. 


Assim que derreter, sem queimar, despeje a massa. mantenha no fogo médio/baixo por 3 a 5 minutos


Quando começar a endurecer nas bordas, despeje os mirtilos. Deixe mais um minuto. Desligue o fogo e leve ao forno já pré aquecido em 180°, para terminar de assar. 


Deixe entre 15/18 minutos ou até dourar. Retire do forno e polvilhe com açúcar de confeiteiro. Agora é só servir.

terça-feira, 11 de junho de 2019

Bolo frapê ou bolo mámore




O bolo deste post é muito fácil de fazer. Delicioso e perfeito para receber uma cobertura cremosa. A vantagem é que todo mundo gosta, até quem não é muito fã de bolo. Na foto abaixo, fica uma sugestão para bolo de aniversário. Fiz para o aniversário de 38 anos de minha filha Stella. A cobertura foi o creme Alpino  https://truehappynest.blogspot.com/2019/06/creme-alpino.html. Salpicado de flocos de chocolate belga e alguns confeitos. Simples assim. 




Bolo frapê ou mármore

Ingredientes:

6 ovos inteiros peneirados
200 gramas de manteiga em ponto pomada (bem macia)
1 xícara (chá) de açúcar
1/4 de xícara (chá) de leite quente
2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirada
1 colher (sopa) de amido de milho
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
1 colher (sopa) de fermento em pó para bolo
3 colheres (sopa) cheias de chocolate em pó 
Modo de fazer:
Em uma tigela bata os ovos inteiros. Passe pela peneira e deixe em uma tigela maior. Adicione o açúcar. Bata ligeiramente. Junte a manteiga e bata até formar um creme bem liso. Junte o leite quente. Bata mais um pouco. Vá adicionando os poucos, a farinha e o amido de milho peneirados juntos. Bata até ficar bem cremoso. Junte o extrato de baunilha e misture bem. Por fim, adicione o fermento e misture delicadamente .


Unte uma forma de aro média (uso manteiga) e polvilhe com farinha de trigo. Despeje metade da massa na forma.




Na outra metade da massa, que ficou na tigela, junte o chocolate em pó. Misture muito bem.


Vá despejando a massa de chocolate sobre a massa branca que estava na forma.  Leve para assar em forno pré aquecido 180 graus, por mais ou menos 50 minutos, ou até que fique sequinho e solto das laterais da forma.


 Se for cobrir com o creme Alpino, despeje o creme ainda quente sobre o bolo retirado do forno e ainda na forma (o bolo pode estar quente, sem problema ). Espere esfriar e abra o aro. Enfeite como desejar.


Visual do bolo de aniversário cortado e no final da festa. Cobertura de creme Alpino e flocos de chocolate belga.

Creme Alpino







Adoro esse creme. Fácil de fazer, leve e muito versátil. Serve como cobertura de bolo e como pudim em forma única ou individual. Fica o maior charme se servido em copinhos ou xícaras pequenas. Decore com raspas de chocolate, flocos de chocolate belga (foi a cobertura da fatia de bolo de aniversário na foto acima) ou raspinhas de coco. 

Ingredientes: 
2 xícaras (chá) de água mineral
6 colheres (sopa) de leite Ninho
1 colher (sopa) de manteiga
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) de farinha de arroz
4 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) chocolate Alpino em pó


 Em uma panela, junte todos os ingredientes. Misture bem, com o auxílio de um fouet.


Quando estiver misturado, leve ao fogo médio e mexa sem parar.


Quando começar a borbulhar e descolar do fundo, desligue o fogo. Continue mexendo vigorosamente por dois minutos. 
Se for utilizar como pudim, despeje imediatamente nas formas individuais ou na forma única.


Se for utilizar como cobertura de bolo, despeje imediatamente sobre o bolo ainda na forma. Como fiz, na foto acima. A forma é de aro removível. Deixe esfriar completamente e só então remova o aro. 

Sugestão :


Depois é só espalhar os flocos de chocolate belga, confeitos, enfeites e o bolo está pronto para fazer bonito em qualquer aniversário. Decorado apenas com chocolate belga e futos vermelhos ( morango, amoras e mirtilos) fica um arraso.

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Rotkraut ou cozido de repolho roxo agridoce




Adoro sabor agridoce. Seja na culinária oriental ou mesmo na européia. O repolho roxo é o protagonista de uma das minhas receitas doce/azedas preferidas. O grau de doce e azedo fica por conta do paladar de cada um, mas a base é essa que vou deixar na receita.  É uma mescla da tradição culinária de duas pessoas muito queridas e atenciosas, que adoravam cozinhar e mantinham as receitas de familia como tesouros. Ouvi atentamente, testei e adaptei ao gosto da minha família. É o famosos Rotkraut alemão ou repolho roxo cozido. Cada família tempera ao seu gosto, por isso não há uma receita padrão. Cada casa tem a sua, mas os ingredientes básicos permanecem.
Experimente e brinque com os temperos até chegar ao seu  ponto ideal, a "sua receita".


Rotkraut ou repolho roxo cozido

Ingredientes:
1 repolho roxo médio, sem o miolo branco e picado em tiras finas
2 maçãs (fuji, red ou gala) descascadas e picadas em cubos
1/4 de xícara (chá) de uvas passas pretas sem semente (opcional)
2 colheres (sopa)de manteiga 
5 cravos da India
1 colher (sopa) rasa de sal
pimenta do reino à gosto
1/4 xícara (chá) de vinagre de maçã
1 colher (café) de kümmel (opcional)
1 colher (sopa) cheia de mel ou açúcar, se preferir
1/4 de xícara (chá) de água

Modo de fazer:

Lave bem o repolho, retire o miolo branco ou o pézinho, que é muito duro. Corte em metades e depois corte em tiras finas. Reserve. Lave, descasque a maçã e pique em cubos. Reserve.



Leve uma panela ao fogo, com a manteiga. Quando começar a derretar junte os cravos. Acrescente o repolho, as maçãs, as uvas passas (opcional) , o kümmel( opcional) o sal, a pimenta do reino, o vinagre e a água. 

Tampe a panela e mantenha no fogo médio/baixo por 15 minutos. 


Passado o tempo, adicione o mel, prove os sal e corrija se precisar. Misture bem, tampe e deixe em fogo baixo por mais 10/15 minutos, ou até que o repolho fique bem macio.


Misture tudo muito bem. Prove novamente e corrija todos os temperos que achar necessário. Sirva quente acompanhado das inseparáveis batatas cozidas e carne suína (bistecas, linguiças, salsichas, lombo ou pernil). Eu particularmente, acho que fica mais gostoso preparado com antecedência e apenas esquentando na hora de servir. Os temperos penetram melhor no repolho e fica mais saboroso. É questão de gosto pessoal.


segunda-feira, 27 de maio de 2019

Hi-Fi



Era um drink, muito popular nos anos 60. Versão brasileira do Screwdriver, feito com ingredientes semelhantes (uma parte de vodka e duas de suco de laranja). O nome Hi-Fi,  vem do High-Fidelity, que seria o som produzido pelos melhores aparelhos de áudio da época. O mais proximo ao real. Sem ruídos ou distorções. 

O drink recebeu esse nome porque a Crush, um refrigerante sabor laranja  muito popular na época, era o patrocinador de um programa pioneiro do rock no Brasil (1959-1962) o "Crush em hi-fi". O rock já estourava nos Estados Unidos e o programa, na rede Record, era  dirigido por Fred Jorge, que era quem fazia as versões adocicadas para o português, da maioria dos sucessos americanos.   

O drink em si, é simples, gostoso e vistoso. Ficou popular nas festas dos anos 60. Amigo inseparável do Cuba Libre.


Modo de fazer:

Em copo tipo long drink, coloque uma dose de vodka de boa qualidade. Adicione gelo à vontade. Complete com refrigerante sabor laranja. Misture. Na coqueteleira, agite suavemente. Se quiser a versão americana, Screwdriver, com maior teor alcoólico, substitua o refrigerante, por suco de laranja e reduza a quantidade de suco.


Simples assim. Não tem segredo. 

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Cuba Libre



Seguindo nos drinks. Chega a vez da deliciosa Cuba Libre. Simples, saboroso e refrescante. Cara de praia, céu azul e do calor das Antilhas. Segredo do sabor: usar um rum de qualidade. Pode ser claro ou escuro, mas tem que ser de boa  qualidade. É ele que garante o sabor e aroma do drink. Use sempre copo tipo long drink. Para decorar e saborizar, pode usar tanto o limão siciliano quanto o tahiti. Eu particularmente gosto mais com tahiti. Gelo, sempre com água mineral.


Cuba libre

Ingredientes:
1 limão
1 dose de rum
200 ml de Coca Cola
gelo


Num copo tipo long drink, coloque cubos de gelo no fundo, acrescente uma dose de rum, um gomo de limão (mais ou menos 1/4 do limão) e complete com Coca Cola.


 Decore com uma rodela de limão na borda do copo.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Caipirinha


Houve um tempo, em que até os jovens mais ávidos, buscavam a qualidade  acima da quantidade. Isso se aplicava à vida, ao sexo e até aos drinks.
Mas o tempo passa e as prioridades mudam. Em tempos de muita vodka barata e energético aos litros, gostaria de lembrar dos drinks clássicos das festinhas dos jovens dos anos 60.
Dizendo isso não nego que  havia muito whisky falsificado, pinga ruim, vermute barato e otras cositas mas...porém, sempre havia a busca pelo toque de classe até na bebedeira, ainda que faltasse verba. 
Então, vamos começar a sessão nostalgia que vai da Caipirinha ao Hi-Fi, sem esquecer a Cuba Libre.
Uma dica que serve para elevar qualquer suco ou  drink, a um nível top. Faça seu gelo com água mineral. Mantenha uma forma de gelo em seu freezer ou congelador, sempre abastecida com água mineral. Experimente e sinta a diferença!

Caipirinha
Ingredientes:


2 colheres (sopa) de açúcar (prefira o cristal)
2 limões tipo tahiti
1/2 xícara (chá) de cachaça ou aguardante de boa qualidade
cubos de gelo (use água mineral para fazer o gelo)
Modo de fazer:


Pique um dos limões, em pedaços pequenos. Junte o açúcar.


Amasse bem o limão com o açúcar.


Junte a cachaça. Agite bem. Se não tiver coqueteleira, use uma jarra pequena e misture com colher.


Adicione o gelo. Se for servir na hora, coloque bastante gelo. Se preferir fazer com antecedência, coloque só um terço do gelo e leve à geladeira, colocando o restante só na hora de servir.


Com o outro limão, faça fatias bem finas e coloque dentro dos copos ou nas bordas dos copos. Se quiser inovar, faça picolés de caipirinha. Use formas de sorvete tipo picolé. Coloque uma rodela bem fina de limão e complete com a caipirinha coada. Leve ao freezer por 6 horas. Desenforme e sirva como drink, espetado em uma travessa cheia de gelo. Sucesso garantido.