quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Penne rigati ao brocoli e queijo.

Fui ao mercado no final de semana, e fiquei extasiada com a beleza das verduras. Me senti uma verdadeira lagarta, ávida por provar um pouco de todas as folhagens que via à minha frente. Viçosas e crocantes. Os brocolis foram os primeiros a me atrair. Maços gigantes e bem verdinhos. Com eles preparei o prato simples e muito saboroso, cuja foto, ilustra este post. Quanto à massa, optei pelo penne por uma razão estética, pois qualquer massa acompanha bem esta receita. Também, preferi o penne rigati, pois os "risquinhos" na massa, o rigati em questão, garantem uma melhor aderencia dos molhos à massa. Para os que gostam de verduras e que como eu, não resistem a um lindo maço de brocoli, aqui fica a sugestão:

Penne rigati ao brocoli e queijo.
Ingredientes:
1 maço de brocoli
250 gramas de massa tipo penne rigati
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva
5 dentes de alho bem picadinhos
250 gramas de queijo tipo reino, gouda, fontina ou maasdam ralado em ralo grosso ( usei maasdam)
sal
pimenta do reino
Modo de fazer:
Leve a massa para cozinhar, conforme instruções da embalagem. Quando estiver "al dente', escorra e reserve. Lave muito bem os ramalhates de brocoli e deixe escorrendo. Leve ao fogo o azeite. Quando começar a aquecer, junte o alho bem picadinho ou espremido. Deixe dourar. Quando estiver douradadinho, junte os ramalhtes de brocoli. Refogue até que fiquem macios, porém crocantes. Espete com garfo para sentir o ponto. Tempere com sal e pimenta do reino. Junte a massa que estava reservada. Misture delicadamente. Coloque em um refratário ou forma . Espalhe  e polvilhe com o queijo. Leve ao forno por mais ou menos 20 minutos (até dourar o queijo ). Retire do forno, espalhe um fio de azeite extra virgem e sirva.
Simples assim.
Bom apetite!

domingo, 26 de setembro de 2010

Amoreira, orquideas ou o renascer na primavera.

Passei a última semana confinada entre o sofá e a cama. Com uma boa gripe e avessa aos antibióticos como sou, deixei que os anticorpos fizessem seu trabalho: expulsassem os virus invasores. Para tanto procurei descansar e me alimentar bem. Em uma semana o trabalho foi concluido com sucesso!
A primavera chegou durante minha reclusão, e só agora no final de semana é que fui conferir o que ela havia trazido. Minha primeira surpresa foi a florada da orquidea branca, que até semana passada só possuia gordos botões. Agarrada a um pé de romã, me encantou com sua beleza brilhando ao sol. Depois fui ao terraço e lá encontrei a amoreira coberta de botões e com sua primeira flor. Grande.Pétalas balançando no vento.




Perfeitamente sincronizada em seu calendário primaveril. promete bons frutos. Foi muito bom sair do repouso forçado e sentir a delicia de estar saudavel. Renascer com os bons ventos da primavera e contemplar as belas floradas que ela trouxe consigo!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Cheese Cake " Extra Large"

Acho dificil encontrar alguém que não goste de Cheese Cake. É um doce clássico que nos remete imediatamente a Nova York. Sofisticado e ao mesmo tempo tão simples! Aqui em casa faz sucesso, principalmente, porque não é o tipo de doce enjoativo. É doce na medida certa! Equilibra perfeitamente o crocante da base com a leveza do creme. O visual também é um dos seus pontos fortes. De todas as receitas que experimentei, esta é a mais simples e gostosa. O resultado é muito bom, sem precisar gastar horas na cozinha. Se possivel, faça de véspera, pois quanto mais tempo passar na geladeira, melhor o resultado. A receita é bem farta: rende 12 generosas porções.

Cheese cake
Ingredientes: 
300 gramas de biscoito tipo maisena
200 gramas de manteiga sem sal (na temperatura ambiente)
400 gramas de cream cheese
400 gramas de creme de leite fresco ( ou nata)
8 colheres (sopa) cheias de açúcar de confeiteiro
1 colher (sopa) de suco de limão
1 colher (sopa) de essencia de baunilha
250 gramas de geléia vermelha de sua preferencia : amora, framboesa, mirtilos, cereja ou morango
Modo de fazer;
Bata os biscoitos no processador (ou liquidificador) até obter uma farofa fina. Junte a manteiga e bata até obter uma pasta firme. Espalhe  e compacte com as mãos, o fundo de uma assadeira redonda ( 25 cm ) de fundo removivel.

Coloque na batedeira o cream cheese, o creme de leite fresco, o açúcar, o limão e a baunilha. Bata na velocidade máxima por aproximadamente 4 minutos, até obter um creme bem firme.
 
Espalhe sobre a base de biscoito que esta na forma. Nivele bem. 


Cubra com filme plástico e leve à geladeira pelo menos por 4 horas.  O ideal, para que o creme fique bem firme e a base mais crocante,  é que fique na geladeira, de um dia para o outro. Desenforme e espalhe sua geléia vermelha preferida sobre o creme, deixando que escorra pelas beiradas. Na foto, usei geléia de amora.


 

Sirva e espere os elogios...
Bom apetite!






quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Caldo verde ou cozido galego...




A península Ibérica como um todo, tem uma cultura muito rica e diversificada. Embora de países diferentes, isso não impede que habitantes da região sul da Galícia ( Espanha) e os do norte de Portugal compartilham muitas coisas. Características físicas muito semelhantes, gostos, língua, festas e crenças até rios, montes e bosques. A gastronomia, já é um capitulo à parte. Há pratos com nomes diferentes, mas com os mesmos ingredientes e resultados semelhantes. É o caso deste prato. Minha "abuela" e minha mãe faziam uma variação dele, chamado ora de Caldo gallego ora Cozido gallego, dependendo da quantidade de carne de porco que iriam colocar nele.Nos restaurantes é mais conhecido como Caldo Verde. Minha avó costumava engrossar o caldo usando um pouco de farinha de milho e "unto" de gordura de porco. O caldo que ilustra este post, é bem simples e saboroso. Fácil de fazer, é perfeito para uma noite fria.

Caldo verde ou cozido galego
Ingredientes:
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
150 gramas de linguiça calabresa ou portuguesa (defumada) cortada em rodelas finas
50 gramas de bacon picado
3 dentes de alho bem picados
3 batatas médias descascadas e picadas
2 maços de couve picada
1 litro de água
1 colher (sobremesa) de sal
1 colher (sopa) de azeite extra virgem
Modo de fazer:
Prepare os ingredientes.

Coloque o azeite em uma panela e leve ao fogo. Junte o bacon e a linguiça e frite até dourar.

Quando estiver bem dourado, acrescente o alho e deixe dourar mais um pouco. Acrescente a água e o sal. A seguir junte as batatas e a couve. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio, até os ingredientes ficarem bem macios ( 20-30 minutos em panela de pressão ou 45-55 minutos panela convencional ).
Sirva quente com um fio de azeite extra virgem Acompanhe com um pão rustico e uma bela taça de vinho tinto.
O resultado final é tão português quanto galego!!
Bom apetite

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

O abacateiro em flor!

Meu pé de abacate, é daquela variedade que chamam avocado, escuro e pequenino. Já está no quintal há uns 7 anos, e é mais que tudo, um belo suporte para minhas orquideas.




Este ano, enquanto eu procurava no meio das folhas, os botões de novas variedades que havia plantado, encontrei as flores do abacateiro.

Pequeninas e escondidas entre a folhagem, lá estavam elas. Apertadas, entre o vaso de chifre-de-veado, que eu pendurei em um dos galhos. Foi uma bela surpresa, pois naquela bagunça que é o meu mini pomar, nunca imaginei que o abacateiro fosse florir. Se ele vai frutificar, não sei, mas para mim, as florzinhas dele já foram um presente,tão lindo quando inesperado!
Este ano, talvez pelo calor anormal, as arvores começaram a florir rápido. O limão cravo esta coberto de flores,cujo aroma invade a casa. O café, repleto de botões e a mexerica ponkan, voltou a florir ( fora de época). Fico feliz com a beleza das floradas, mas ao mesmo tempo preocupada com essa confusão das plantas. O clima esta mudando e elas sentem isso à sua maneira. Suas floradas intensas deveriam atrair muitas abelhas, que em outras épocas estariam zunindo por todo lado. Mas não é o que estou vendo este ano.
Ultimamente, cada estação é um novo enigma, um alerta!
Certamente há sinais, que merecem ser estudados com um pouco mais de cuidado, por quem entende do assunto.