segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Feliz Natal ...Ho...Hoo..Hooo!


Desejamos à todas as pessoas de bem, momentos da mais pura felicidade, ao lado daqueles que realmente importam. Hoje, no Natal, no Ano Novo e em todos os dias de suas vidas!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Pocket Garden.


Há algum tempo atras, ouvi a expressão "Pocket Garden".
Adorei! Encaixava-se perfeitamente no perfil do meu jardim/pomar. Pequeno, quase um jardim bonsai, onde tento acomodar todas minhas plantinhas e arvores. Estilo? Nenhum. Talvez meio caótico, mas me encanta. Todo mundinho vegetal esta lá, mais apertado que o metro de Tókio.Eu, com minhas luvas de borracha, empurrando uma, podando outra. Disciplinando o caos e e fazendo todo mundo vegetal conviver pacificamente num universo tão pequeno. Até o momento tenho obtido bons resultados e muita satisfação. Tempos atras, meu marido requisitou um pedaço de terra para acomodar uma videira. Há muito tempo ele queria cultivar uma. Decidiu-se pela muda da variedade niagara-branca. Cuidou do terreno, adubou e plantou. Podou no tempo certo e instalou fios para que a planta pudesse se apoiar. Nesse meio tempo ele descobriu uma pimenta vermelha já meio murcha, perdida no fundo da geladeira. Raspou a semente e jogou perto da sua querida parreirinha. O tempo passou, veio a chuva e o calor.Uma planta começou a brotar na parte do "pocket garden" que coube ao meu marido. Ele nem se lembrava mais da tal pimenta, até que ela começou a brotar, florir...e crescer....e frutificar...e crescer...e crescer. Enredando-se e confundindo-se com a parreira. Irmãs. Unidas e espremidas na falta de espaço. Alimentadas pela boa terra e o carinho dele, floriram e frutificaram da melhor maneira. Ele vigia orgulhoso os frutinhos tão perfeitos e belos a espera do momento certo da colheita. São uma prova viva de que criaturas diferentes podem conviver em harmonia mesmo que o espaço seja disputadissimo. Podem ser um exemplo inspirador para muitos povos em conflito!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Damigiana!

Tudo começou num passeio de fim de semana. Entramos em um viveiro de mudas e insumos agrícolas. Eu queria comprar adubo para minhas plantas e novas ferramentas de jardinagem. Entrei e fui olhar as ferramentas. Meu marido, sabendo que eu ia demorar um bocado, resolveu dar uma voltinha pela loja. Voltou logo e me puxou pelo braço, para que eu fosse olhar um belo e imenso garrafão de vidro que que estava em um canto da loja. Achei muito bonito. Perguntamos como se chamava e nos disseram que era uma damigiana ou damegiana. Sua capacidade era de 25 litros e era usada para armazenar vinho. Acabamos comprando uma e agora ela é usada para armazenar as rolhas de vinho que venho colecionando nos últimos dois anos. Mas, a história não acaba aí. Fiquei intrigada com o nome, e depois de uma rápida pesquisa descobrimos que tudo começou na Italia. Uma homenagem a rainha Giovana. Conta a lenda que a origem do nome vem do francês "dame-jeanne". Refere-se a rainha Giovanna I de Napoles, que após uma caçada em 1347, foi surpreendida por uma violenta tempestade. Refugiou-se num pequeno castelo onde vivia um artesão vidreiro. A rainha interessou-se e quis ver como ele trabalhava. Entrou na oficina no momento em que o artesão soprava uma garrafa. Surpreso com a chegada da rainha, ele soprou tão vigorosamente que criou uma enorme e redonda garrafa de vidro com mais de 10 litros. A rainha achou muito bonita. O artesão agradecido pelo elogio, prometeu que faria muitas e em homenagem a rainha, elas se chamariam "reine-jeanne". Porém, a rainha preferiu que ele as chamasse de "dame-jeanne". E assim foi. Daí derivou o termo italiano damigiana. São grandes garrafões de vidro arredondados com capacidades de 54,35,28,23,13 e 5 litros. No passado eram revestidas de vime. Uma damigiana de vinho era suficiente para abastecer uma família por mês. Mas a nossa pobre damigiana vai levar um bom tempo para ficar cheia de rolhas!
Para quem se interessar, a nossa foi comprada em São Roque.
 AGROMAIS - Avenida São Luiz, 384 - Jardim Vilaça - 
 (Km 58,5 da Raposo   Tavares)
 São Roque - São Paulo
 Fone: 4712-9396

Vinagre bem temperado.

O calor continua intenso e deve se intensificar com a chegada do verão. Portanto, as saladas continuam na ordem do dia. Mas, mesmo a saladinha simples de tomate e alface, pode tornar-se uma nova experiencia dependendo da forma como é temperada. O segredo aqui de casa é o vinagre. Para começar, sempre um vinagre de boa qualidade ( não agrin): tinto, branco, de maçã ou de arroz. Depois, é hora de colher ervas frescas, lavar e secar muito bem. Em garrafas bem limpas e secas, comece a alquimia. Coloque a erva que desejar, dentes de alho descascado ( se gostar) e pimenta vermelha. As nossas combinações campeãs são:
1- vinagre de vinho branco, galhos de alecrim fresco e muito alho.
2-vinagre de vinho tinto, um grande ramalhete de orégano ou tomilho fresco e muito alho.
3-vinagre de vinho tinto, manjericão, alho e pimenta vermelha fresca.
4- vinagre de maçã e um belo punhado de framboesas frescas.
5- Vinagre de vinho tinto, salvia e alho.
As combinações ficam ao gosto de cada um, mas todas são deliciosas e conferem um sabor todo especial a salada. Também são ótimas, para dar um toque especial ao tempero de carnes.
Para armazenar, tenho utilizado várias garrafas diferentes. Mas prefiro as de azeite, e com vidro escuro. Tenho a impressão que o vidro escuro, protege as ervas e o vinagre da luz e apura o sabor. Deixo as ervas macerarem no vinagre pelo menos por um mes, antes de utilizar.
Além do sabor e do rico aroma, levamos para o prato todas as propriedades terapeuticas dessas ervas milenares.
Espero que gostem da sugestão.
Bom apetite!